Ultimas Postagens

10 de mar de 2014

CICLOVIAGEM LAGAMAR - CAP. VI: o caminho de volta....

Em maio de 2012, a convite da Expedição & Aventura, pedalei durante quatro dias pelas praias desertas do Lagamar, rodeado de restingas, manguezais, ilhas, morros isolados, vegetação nativa e um mar pulsante. 

blog Viagens de Paulo Pom está contando a história dessa cicloviagem, que no total percorreu os trechos sinalizados no mapa abaixo (clique para ampliar):



Antes de prosseguir, clique abaixo nas indicações em vermelho e recorde os capítulos anteriores:


LAGAMAR: exuberante 

o Lagamar

Planejamento,
Cananeia e a travessia para a Ilha do Cardoso. 

Capítulo 2
Pedalando pela Ilha do Cardoso.





Capítulo 3
Ilha de Superaguí.

Ilha das Peças

Capítulo 5
Ilha do Mel





Ilha do Mel, seguindo rumo ao Forte,
visto na foto ao longe, bem à esquerda

Nesse capítulo final, deixaremos nossas bicicletas de lado e prosseguiremos de barco.

As surpresas do caminho de volta  


ILHA DO MEL: agência dos Correios

comércio na Ilha do Mel (Vila do Farol) 


Na Ilha do Mel, a partir da Vila do Farol, com suas simpáticas casas de madeira (ver fotos acima e a esquerda), começamos o caminho de volta. 



Mas a natureza pulsante da região ainda nos reservaria momentos inesquecíveis.


Ao invés de retornarmos pela praia, ingressamos na Vila de Brasília e seguimos por uma trilha paralela muito arborizada e gostosa de pedalar...


... até desembocarmos na belíssima praia da Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres, que brilhava intensamente (foto abaixo):

De lá, atravessamos novamente o costão que beira o Forte da Ilha do Mel (foto abaixo)...


... e seguimos tranquilamente pela praia até o radio farol da marinha, onde o barco da Pousada do Carlinhos nos aguardava.

Já estávamos habituados com o embarque e desembarque das bicicletas nos barcos. E assim, logo iniciamos a navegação pelas águas calmas da baía, rumo à Ilha das Peças.



Só que, desta vez, tivemos a companhia de inúmeros golfinhos, que nadavam ao redor do barco e elevavam seu dorso para fora d’água. 


Presenciamos um autentico balé sincronizado, que tinha como palco as águas azuladas da Baía de Guaraqueçaba e como pano de fundo as imponentes montanhas da Serra do Mar.


Visual paradisíaco: a Serra do Mar se erguendo
entre as águas calmas e o céu azulado
Dessa vez não atracamos na Ilha das Peças, apenas fizemos uma baldeação para uma lancha que já estava a nossa espera graças à organização da Expedição & Aventura.


Nosso transporte de volta: o Pérola Negra"
Numa velocidade de 30 km/h, o "Pérola Negra" se deslocou para dentro da baía e entrou no Canal do Varadouro, que separa as Ilhas das Peças e Superagui do continente, conforme mostra o mapa abaixo:


No passado, a calha desse canal foi aprofundada e sua largura ampliada, visando a passagem de tropas de guerra. Mas isso vem provocando erosão em alguns pontos da margens.


Atrás dos mangues, a Lua surge
timidamente, só esperando o anoitecer
para brilhar
Fizemos uma parada na vila abandonada de São José do Ararapira, fundada pela Coroa Portuguesa no século XVIII, na então Capitania de São Paulo. Observe na foto abaixo, um exemplo da erosão da margem:



A antiga igreja ainda conserva os bancos de madeira, as imagens no altar, mas não há missas, nem padres e nem fiéis, até porque a pequena vila não conta com moradores fixos. 



Na mesma vila, visitamos um cemitério dos antigos moradores, encravado no meio da mata. Mas os mosquitos estavam bem vivos e rapidamente voltamos para a lancha.




Depois de 2 horas, fizemos uma proveitosa parada no Maruja (Ilha do Cardoso), onde almoçamos uma saborosa tainha recheada:



Era uma segunda-feira de trabalho para o resto do planeta, mas eu parei para admirar o trabalho da Mãe Natureza, a quem agradeci pela oportunidade de ter vivenciado momentos de verdadeira pulsação.

Cena bucólica no Marujá, Ilha do Cardoso
Ao me despedir daquela paisagem, jurei que faria da Ilha do Cardoso minha "casa da praia" e que voltaria muitas outras vezes.


Marujá, Ilha do Cardoso
Marujá, Ilha do Cardoso
Foram mais 50 minutos a bordo do "Pérola Negra", em companhia das árvores retorcidas do manguezal. Chegando em Cananeia, tivemos uma nova acolhida na Pousada Pôr do Sol para um banho e um café da tarde.

Os quatro companheiros de viagem - da esq. para dir.
Sandro, João, Kaua e eu (Paulo)
Uma boa oportunidade para fotografar os equipamentos de segurança e uma amostra do lanche embalado que é servido pela organização da viagem:


E também para tentar fazer amizade com o papagaio da pousada... mas ele estava com cara de "poucos amigos":



De lá, seguimos de carro até S. Paulo, cientes de que o Lagamar, ainda beneficiado pelo seu isolamento, proporciona um pouco da verdadeira pulsação da vida.

Quem leva:  

 Expedição & Aventura

Visa integrar práticas esportivas para iniciantes ou mesmo para aventureiros mais experientes, promovendo passeios ou expedições de caiaque e bicicleta em diferentes roteiros. Trabalha com grupos pequenos de 4 a 12 pessoas e organiza viagens durante o ano inteiro. Ideal para quem está começando e não quer se preocupar com agendamentos e infraestrutura.


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Show... tenho um projeto de fazer o canal do varadouro de caiaque... mas tenho encontrado poucos relatos na net e poucas dicas a respeito da navegabilidade e pontos estratégicos a ser visitados...isso tem me deixado mais curioso e com vontade de desbravar. Parabens pelo relato muito bacana. Tenho tambem um blog de campismo. Acampamentosamigosdosul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Traduzido Por: Mais Template - Designed By