Bem-vindo viajantes

Bem-vindo viajantes! Esse blog tem como objetivo tornar público algumas questões, reflexões e vivências que tenho tido, daí o nome "Viagens de Paulo Pom". As postagens e discussões desse espaço envolverão os seguintes temas: meio ambiente, sustentabilidade, ciclismo e cicloturismo, montanhismo e vivência ao ar livre. Mas viagens por outros mundos também serão feitas...

domingo, 20 de maio de 2012

SANTIAGO DE CHILE: SUAS BELEZAS, SUAS BICICLETAS














Nos dias 11 a 14 de maio de 2012, estive em Santiago de Chile, participando do enlace matrimonial do meu amigo de infância Luis Fernando, vulgo LF (dentre outros codinomes). Foi um momento muito especial de encontro com velhos amigos de montanha e de pedal. (foto acima, a direita: o rico contraste entre o antigo bem conservado e o novo arrojado).

Esquerda para Direita: os noivos Natália e LF,
depois Cássio, eu, Glauco e Lúcia

Não foi a primeira vez que estive por lá. Em fev./2008, eu conheci Santiago do alto: eu, LF e outro amigo havíamos acampado na região da Laguna Piuquenes e Cancha de Carreras, acima do Valle Nevado, na parte da Cordilheira dos Andes que fica próxima à cidade. De lá, a 3.500 m. de altitude, pude registrar a capital chilena acordando:

Do nosso acampamento base, na Cordilheira dos Andes,
em fev./2008:  Santiago despertando para mais um dia
 

Agora, em mai./2012, conheci a cidade de perto e pude perceber alguns dos seus detalhes, mesmo que num breve final de semana.

Plaza De Armas, centro de Santiago:
 agradável área de convívio social

Santiago é uma belíssima cidade. Arborizada, limpa, bem cuidada, asfalto liso, calçadas sem buraco, segura, repleta de jardins e parques... são algumas das qualidades que posso mencionar a respeito da capital chilena. Tudo muito diferente da precariedade urbana de inúmeras cidades brasileiras, como São Paulo.

O Cerro Sta. Lúcia é uma colina situada 
no centro da cidade, remanescente de um vulcão...

... onde foram erguidas construções ornamentais e fontes.

No alto do Cerro Sta. Lúcia, há um antigo forte.

Santiago é também uma capital da bicicleta. Elas estão absolutamente integradas à dinâmica da cidade e estão por todos os lados: deslizando pelas avenidas, amarradas em postes e paraciclos, estacionadas nas praças e nas portas de restaurantes.


É comum ver ciclistas pedalando com segurança bem no meio das ruas e avenidas de Santiago. Esses ciclistas trafegam com mais velocidade e não são perturbados e nem agredidos por motorizados, incluindo os ônibus. 

Ciclista em segurança no meio da avenida: cena muito comum 
em Santiago, porém inimaginável na Av. Paulista, em S. Paulo. 

Numa segunda feira, no início da manhã: ciclistas
se multiplicam em Santiago

A variedade de modelos e tipos de bicicletas também impressiona, como se pode ver pelas fotos abaixo.




Encontrei uma com um emblema da sueca Monark Varberg:



Vejam só uma antiga "Bianchi" (italiana), tranquilamente estacionada num paraciclo de uma feirinha de artesanato:



Até mesmo uma pequena e charmosa aro 20, certamente usada como meio de transporte, estava estacionada num paraciclo da cidade, na gelada noite de domingo, 13/mai./2012: 


Em algumas ruas existem ciclovias. Observem o cuidado urbano; pequenos gramados e vasos delimitam a ciclovia:


Vestígio de um sistema de aluguel de bicicletas públicas. Mas não havia bicicletas disponíveis, ou porque todas estavam alugadas ou porque era domingo e nesse dia poucas coisas funcionam na cidade.


Um 'perro' observa ciclistas num paraciclo removível, montado especialmente para uma feirinha de artesanato. Ao lado, uma barraquinha vendia peças para bicicletas.


Um pouco mais sobre Santiago de Chile:

Cartaz da Bicicletada de Santiago

Cerro Sta. Lúcia: crianças numa "moldura"
formada por um arco

Bela Araucária crescendo no forte
do Cerro Sta. Lucia
Bicicletas completamente integradas
à dinâmica de Santiago de Chile


"Los cuatro amigos de montaña"

BICICLETA ANTIGA - CALOI 10 SPORTÍSSIMA - 1976


Apesar de gostar muito de bicicletas antigas, não tenho condições de colecioná-las, além das duas que já possuo (Caloi 10 1975 e Phillips 1953). Mas admiro quem o faça e quem sabe um dia possamos construir algo como um museu ou um memorial de bicicletas aqui em S. Paulo. 

Uma das formas que eu encontrei para "colecionar" bicicletas clássicas e curiosas é por meio de fotografias. Assim, sempre que possível vou compartilhar algumas imagens e histórias de bicicletas antigas que vou encontrando por aí. 

A bicicleta abaixo é uma CALOI 10 SPORTÍSSIMA e pertence ao colega Darcio Herrero, que gentilmente me cedeu algumas fotos. 



Segundo relato de Cláudio Carlquist  (www.sampabikers.com.br/um-pouco-da-historia/), a Caloi 10 foi lançada em 1972 e o modelo 'Sportíssima' em 1975. Este último tinha algumas diferenças, como um quadro dotado de uma geometria mais curta e outros detalhes, como conduítes para passagem do cabo do freio traseiro, componentes de alumínio e blocagem nas rodas. Na época, a 'Sportíssima' custava quase o dobro da Caloi 10 'standard', sendo que ambas vinham em três tamanhos de quadros: 54, 56 e 58. 

O detalhe da 'Sportíssima" de Darcio

Darcio adquiriu essa bicicleta no Mercado Livre, de um segundo dono residente na cidade de Itu/SP. Sua intenção era restaurá-la, mas como a pintura é original e está em bom estado, ela será mantida e receberá um polimento. 

Os adesivos originais, segundo  Darcio, estão muito desbotados, motivo pelo qual ele pretende elaborar novos com ajuda do programa de computador Core Draw. Quem sabe em publicações futuras, explicamos um pouco como usar esse recurso da informática em restauração de clássicas.



Com exceção do selim (que foi adquirido na feira de antiguidades da Estação Luz, em S. Paulo), as demais peças são originais e receberão um tratamento de polimento, limpeza e cromagem, conforme a necessidade. Aliás, muito legal o adesivo acima, produzido na Zona Franca de Manaus.

Vamos aguardar fotos da 'Sportíssima' restaurada de Dárcio.

Veja outras postagens sobre Caloi 10 e outras desse gênero: 

Restauração da minha Caloi 10 - 1975

Caloi 10: que ano? 

Linda Caloi 15